Já foi considerado o “caminho mais perigoso do mundo” e a sua travessia foi mesmo fatal para alguns turistas. O conhecido Caminito del Rey, em Málaga, está de portas abertas para receber corajosos que o queiram atravessar. Aviso: esta é uma travessia imprópria para quem sofre de vertigens.

O nome até pode transmitir a ideia de um pequeno e inofensivo caminho. Mas a realidade é outra. O Caminito del Rey é um percurso pedestre construído ao longo da encosta do desfiladeiro dos Gaitanes, em Málaga, Espanha. A passagem, que ficou conhecida como “a mais perigosa do mundo”, foi reabilitada e reabriu ao público em 2015. São três quilómetros de caminho, a 100 metros de altura sobre um desfiladeiro.

Caminito del Rey

Este ano, a passagem volta a permitir a visita de turistas que procuram sentir adrenalina durante as férias. Mas a fama de perigoso faz parte de outros tempos. Desde que reabriu ao público, a segurança é levada muito a sério. Os visitantes são obrigados a usar capacetes, botas de biqueira de aço e os passadiços, que constituem grande parte do percurso, estão bem agarrados às falésias. A vista para os desfiladeiros é impressionante e vale a pena pôr o medo de lado e fazer a travessia.

Caminito del Rey

Desde a reabertura em 2015, 600 mil pessoas foram atravessar o Caminito del Rey, 69% turistas estrangeiros, indica o site The Local. Os bilhetes para este ano já estão disponíveis na internet (no site oficial do percurso) e custam 10 euros.

O percurso pedestre num dos desfiladeiros de El Chorro foi construído no início do século XX com o objetivo de criar um acesso entre duas quedas de água durante a construção de uma hidroelétrica. Na altura da inauguração, o rei Afonso XIII cruzou o caminho, que ganhou então o nome de Caminito del Rey. O percurso acabou por cair no abandono durante 14 anos, tendo sido encerrado em 2000, após alguns acidentes fatais – cinco turistas caíram dos passadiços e morreram.

Fonte: Sapo Viagens

Pin It on Pinterest

Share This